A partir da próxima semana, motoristas que passarem por rodovias no entorno de Palmas devem ficar atentos a medidas para evitar incêndios florestais que serão tomadas. Equipes que integram o Comitê do Fogo vão começar a realizar no dia 27 de abril as ‘queimas controladas’ nas margens das rodovias. A ideia é realizar a queimada de faixas com até 10 metros a partir de cada lado das estradas.

O projeto foi chamado de ‘Aceiro Negro’. As primeiras vias a receber os trabalhos serão a TO-050, entre Palmas e Lajeado, TO-020, entre Palmas e Aparecida do Rio Negro, e TO-030, entre Taquaralto e Taquaruçu.

Uma versão piloto do mesmo projeto foi realizada em 2020 e de acordo com o Corpo de Bombeiros apresentou bons resultados. A queima controlada destrói a massa seca de mato e folhas que costuma ficar às margens das rodovias, sem esse material as queimadas que ocorrem em períodos de seca ficam sem combustível e não conseguem avançar.

“Nossa preocupação é com a fauna pequena, principalmente Tamanduá, Tamanduá Bandeira, Tamanduá Mirim, Raposas, Tatus, Pacas e répteis que se deslocam com mais dificuldade frente aos grandes incêndios. E quando a gente fala da flora, praticamente todo nosso esforço gira em torno da proteção de água, ou seja, naquela região (APA e Parque do Lajeado) tem muitas nascentes, sobretudo em Taquaruçu”, explica Warley Rocha, diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Naturatins.

A ideia é que as ações não sejam realizadas apenas pelas instituições que compõem o comitê, mas também por produtores rurais que tenham autorização dos órgãos ambientais para fazer as queimas. Com os aceiros, a tendência é que as áreas destruídas em queimadas sejam menores.

“A gente entende que isso ajuda a diminuir os incêndios e as queimadas ilegais na época mais preocupante, em agosto e setembro, quando é proibida toda e qualquer queima”, disse o Tenente-Coronel Erisvaldo Alves, Superintendente da Defesa Civil Estadual.

Os meses que são de transição entre o período chuvoso e o de estiagem no Tocantins são ideais para a realização deste tipo de queima, já que as temperaturas são mais amenas e por causa da umidade ainda presente no solo o fogo se espalha de forma mais lenta.

Por  G1 Tocantins.