O esquema de segurança durante as manifestações convocadas por bolsonaristas no feriado de 7 de Setembro em Brasília vai ter revista contra armas e o fechamento total da Praça dos Três Poderes. O anúncio foi feito nesta terça-feira pelo secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Júlio Danilo. Segundo ele, o acesso à Esplanada dos Ministérios, localidade onde os protestos devem se concentrar, será aberto apenas para pedestres. De acordo com o secretário, 13 grupos de direita já solicitaram o direito de realizar manifestações na área.

As manifestações previstas para o dia 7 de setembro foram convocadas por militantes favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro. No início do mês, o cantor e ex-deputado federal Sérgio Reis gravou um vídeo convocando paralisações de caminhoneiros e protestos em Brasília para pressionar o STF e o Legislativo. Bolsonaro já disse que irá discursar nos atos previstos para o feriado. Os protestos acontecerão em meio à escalada de tensão entre o presidente e o Judiciário.

No dia 20 de agosto, o presidente pediu o impeachment do ministro do Supremo, Alexandre de Moraes, que conduz inquéritos das fake news, um dos que mais preocupa o presidente. No início de agosto, o ministro incluiu Bolsonaro como um dos investigados no caso.

Além dos pedidos de manifestações de grupos de direita, o secretário afirmou que três grupos de esquerda também pediram autorização para realizar protestos no dia 7. O governo do Distrito Federal está negociando com esses grupos para que as manifestações contra o governo Bolsonaro sejam realizadas em outra área da cidade para evitar o contato entre grupos antagônicos.

Júlio Danilo afirmou que as revistas serão necessárias para garantir a segurança dos manifestantes.

— O direito de manifestação permite que as pessoas possam se manifestar de forma conjunta desde que não estejam portando armas. Por isso a gente faz essa linha de revista. A intenção é que elas possam se manifestar de forma segura — afirmou.

Sobre a segurança dos prédios do STF e do Congresso, o secretário informou que os esquemas próprios, de cada Poder, irá atuar, mas que, se necessário, serão usadas forças policiais do Distrito Federal. O serviço de inteligência, segundo o Júlio Danilo, também estará atento se determinado prédio precisará de reforço ou não.