O ex-prefeito de Palmas – Carlos Amastha – parece que está sentido o gosto do ostracismo com a saída do poder, com os holofotes em direção a atual gestora da capital, resta a ele continuar usando as redes socias para seus ácidos comentários, especificamente no microblog  Twitter.

A metralhadora giratória do ex-prefeito não perdoa ninguém, exceto os que não estão em algum cargo eletivo; dessa vez foi o presidente da Assembleia Legislativa. Com o destempero de sempre, Amastha fez o que sabe fazer: criticou com palavras vazias o ex- governador (temporário) Mauro Carlesse com aquele velho discurso “ de política mais asquerosa do mundo”, sendo ele um ambicioso candidato a fazer parte da mesma, ou seja: quer ser o governador do Estado.

A resposta de Mauro Carlesse foi elegante e não caiu no jogo de Amastha, de certa forma frustrando o ex-prefeito, que lá no fundo gostaria que uma provável discussão fosse criada para alimentar mais alguns momentos de mídia espontânea para si. Carlesse cortou qualquer tentativa de continuidade e mais uma provocação de Amastha se mostrou infértil.

Em um momento em que o Tocantins vive um momento de total instabilidade política, sem sabermos qual será o destino diante de tamanho imbróglio, o que se esperaria do senhor Amastha é que o mesmo mantivesse o bom senso e usasse o seu tempo nas redes socias para apresentar um projeto, um plano de governo que viesse apresentar suas propostas para o Tocantins sair dessa crise que parece não ter fim.

Talvez pela vaidade pela qual é conhecido, talvez pela necessidade de estar na mídia ou por simples exercício de tentar estabelecer o caos diante do que já é catastrófico o ex-prefeito insiste em colocar gasolina no fogo; mas a cada escrito no Twitter  o seu filme vai sendo queimado e fica a impressão que aqueles que o apoiam vão o deixando de lado e agravado pelo fato de que político sem mandato é um perdedor adiantado.

Resta esperar que a razão se torne  preponderante nas falas e nos escritos do ex-prefeito de Palmas e que o seu discurso seja de boas e construtivas ideias. O Tocantins precisa e agradece.