O ex-assessor e conselheiro do ex-presidente Donald Trump, Steve Bannon, foi liberado horas após se apresentar ao FBI, nesta segunda-feira (15), em Washington, capital dos Estados Unidos. Ele possuía um mandado de prisão em aberto por duas acusações relacionadas a não cooperação com a investigação do Congresso norte-americano sobre a invasão ao Capitólio.

Segundo informações da agência AFP, a juíza federal Robin Meriweather foi a responsável por apresentar oficialmente as acusações a Bannon, indiciado na última sexta-feira (13). Horas após chegar ao escritório do FBI, o ex-assessor de Trump foi liberado e deve comparecer na próxima quinta-feira (18) diante de outro juiz.

Ao sair do escritório do FBI, Bannon afirmou à imprensa que iniciará uma ofensiva contra o governo de Joe Biden e disse estar “cansado de jogar na defensiva”, responsabilizando diretamente o democrata pela abertura do processo.

“Estamos indo para o ataque, estamos cansados de jogar na defesa. […] Este país foi construído com base na liberdade de expressão”, declarou Bannon aos repórteres na tarde desta segunda-feira.

O ex-assessor de Trump não compareceu perante o Congresso dos EUA para testemunhar sobre a invasão ao Capitólio, ocorrida em janeiro deste ano, além de não ter enviado documentos pedidos pelos parlamentares que podem ajudar na investigação.

Caso seja condenado pelas duas acusações, Bannon pode pegar até dois anos de prisão e pagar uma multa de cerca de R$ 550 mil.