As vendas de produtos feitos no Tocantins no exterior voltaram a registrar crescimento no primeiro semestre de 2018, segundo o Ministério do Comércio e Industria. O estado teve um aumento de 20% nas exportações com relação ao mesmo período do ano passado.

De acordo com os dados do governo, o volume de vendas passou de US$ 706 milhões. Atualmente a soja lidera o ranking de principais produtos do estado. Sozinho, o grão responde por 82% de tudo o que é vendido pelo Tocantins para fora do Brasil. No primeiro semestre foram comercializadas mais de 1,4 milhões de toneladas.

Em segundo lugar aparece a carne bovina congelada, que responde por 12% do total. O número poderia ser melhor, se a carne brasileira não estivesse embargada pela Rússia, um dos principais compradores mundiais. A estimativa do Sindicato das Indústrias Frigoríficas (Sindicarnes) é que o prejuízo anual do Tocantins com o embargo é de R$ 260 milhões.

A China segue sendo o principal destino das exportações tocantinenses. O gigante asiático comprou 61% de tudo o que foi vendido nos seis primeiros meses. Apesar disso, o mercado vem se diversificando lentamente. A participação da Espanha no ranking, por exemplo, subiu dois pontos percentuais entre um ano e outro e está em 8,4%. A Geórgia, que não comprava produtos do Tocantins há um ano abriu o mercado e já responde por 7,3% das exportações.

Importações

Na outra ponta, de produtos que o Tocantins precisa comprar no exterior porque não fabrica, estão principalmente substâncias químicas e combustíveis. O óleo diesel é o líder, respondendo por 24% do total de importações.

O volume de compras externas do estado cresceu 8,5% no primeiro semestre e chegou a US$ 110 milhões. Os Estados Unidos lideram a lista de países que enviam mercadorias para o estado, respondendo por 28% do total, mas viu a fatia de mercado diminuir 35% entre um ano e outro.