“A Feira das Cores foi pensada para atender um público que preza pela alimentação saudável e já superou em muito nossas expectativas ao registrar R$ 60 mil em vendas em apenas três dias de atividades”, destaca o secretário de Desenvolvimento Econômico e Emprego (Sedem) Kariello Coelho, sobre o mais novo espaço comercial da Capital, que funciona na Praça da Árvore, dentro o Parque dos Povos Indígenas (PPI).

No primeiro dia de atividade, na quarta-feira, 09, dia da inauguração do PPI, a feira registrou R$ 20 mil em vendas, no segundo dia, na quinta-feira, 10, R$ 23 mil, e na sexta-feira, dia 11, R$ 17 mil.

A vendedora de tortas, bolos e salgados Lucia Franco ficou animada com o movimento e deseja que o funcionamento da feira seja todos os dias da semana. “As vendas foram ótimas, principalmente no dia da inauguração e no domingo, pois consegui vender tudo. Na verdade não tínhamos noção de público, mas já estou me preparando, pois acredito que teremos vendas ainda melhores nesta semana.”

Já Eliane Costa conta que conseguiu ter um lucro de R$ 600,00/dia com sua barraca de tapioca. “Eu também vendo no Parque Cesamar, mas na Feira das Cores consegui vender muito mais. Estou encantada. O público recebeu bem os produtos, tanto que voltou nos outros dias. O espaço é ótimo e tem um público muito grande.”

Produtos à venda e horários e dias de funcionamento

Com 11 barraquinhas, mas com capacidade para 30, a Feira das Cores comercializa produtos naturais e orgânicos, a exemplo de tapiocas e paçocas, sanduíches naturais, sucos naturais, salgados assados, pães, geladinhos e picolés gourmet, sorvetes, açaí, doces, tortas, bolos, frutas, caldos e pamonhas, além de sucos naturais e chás. No local também são comercializados artesanatos de capim dourado e indígena.

A feira funciona todas as quintas-feiras e sábados, das 17 horas às 22 horas, e aos domingos, das 7 horas ao meio dia. Exclusivamente, na semana de inauguração do PPI, ela funcionou também na quarta pela manhã e à noite, e na sexta-feira à noite.

Novos cadastros

Segundo a Sedem, ainda estão disponíveis barracas para vendas de artesanatos e pet shop para quem deseja comercializar no local. Os interessados devem procurar a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Emprego (Sedem), atrás de Fórum de Palmas, e levar documentação pessoal para o cadastro, participar do curso de orientação da Vigilância Sanitária e fazer a aquisição da barraca, que pode ser parcelada em 12 vezes de R$ 300,00.

Kariello ressalta que as vagas não serão garantidas através de sorteio, mas por ordem de solicitação do pedido. “O comerciante que estiver enquadrado nos regimentos da feira, tiver tudo certo com a documentação, fazer a aquisição da barraca e fazer o curso da Vigilância Sanitária, terá nossa autorização para comercializar seus produtos no local durante 12 meses”. Após esse período, o comerciante deverá solicitar uma nova concessão.

Com informações (FOTOS: ALINE BATISTA E LUCIANA PIRES)