O Ministério da Defesa divulgou nota assinada pelo ministro Fernando Azevedo e Silva na qual afirma que as Forças Armadas trabalham “sempre obedientes à Constituição Federal” para “manter a paz e a estabilidade do país”.

A nota foi divulgada um dia depois de o presidente Jair Bolsonaro ter discursado em um ato contra a democracia em frente ao Quartel-General do Exército, em Brasília. O texto da nota não faz referência ao episódio, no qual manifestantes pediram, com gritos e faixas, intervenção militar e fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal.

Bolsonaro participou discursando de cima de uma caminhonete. Os manifestantes pediram ainda a reedição do Ato Institucional número 5 (AI-5), da ditadura militar, que fechou o Congresso, cassou políticos, suspendeu direitos, instituiu a censura à imprensa e levou à tortura e morte de presos políticos.

No texto da nota, o ministro Fernando Azevedo e Silva disse que nenhum país estava preparado para a pandemia do coronavírus, e que os militares atuam para conter a expansão da epidemia.

“Essa realidade requer adaptação das capacidades das Forças Armadas para combater um inimigo comum a todos: o Coronavírus e suas consequências sociais”, diz o texto.

Íntegra da nota

Leia a íntegra do comunicado divulgado pelo Ministério da Defesa:

Nota Oficial

As Forças Armadas trabalham com o propósito de manter a paz e a estabilidade do País, sempre obedientes à Constituição Federal.

O momento que se apresenta exige entendimento e esforço de todos os brasileiros.

Nenhum país estava preparado para uma Pandemia como a que estamos vivendo. Essa realidade requer adaptação das capacidades das Forças Armadas para combater um inimigo comum a todos: o Coronavírus e suas consequências sociais.

É isso o que estamos fazendo.

Fernando Azevedo e Silva

Ministro de Estado da Defesa