O número de novos casos de coronavírus continua a crescer de maneira acelerada na França. O órgão de saúde pública anunciou  6.111 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, recorde de contaminações desde março.

O total registrado nas últimas 24 horas é o maior desde 30 de março, quando o país contou 7.578 novos casos em um dia. Neste momento, 4.535 pacientes de Covid-19 estão internados em hospitais da França, e 381 em tratamento intensivo.

Às vésperas da volta às aulas no país, o governo francês anunciou hoje a intensificação de medidas de controle do coronavírus, como o uso obrigatório de máscara em todas as ruas de Paris.

“A epidemia está voltando a se espalhar por todo país”, declarou o primeiro-ministro francês, Jean Castex, em uma coletiva de imprensa. “Não estamos na situação grave que estávamos em março ou abril. Mas é preciso intervir agora, porque o crescimento pode ser exponencial.”

O governo classificou 21 dos 101 territórios franceses como zona de circulação ativa do coronavírus, com mais de 50 novos casos por 100 mil habitantes em uma semana. Entre as áreas de alta circulação estão a região de Paris, de Lyon e boa parte da costa mediterrânea francesa.

Nestas áreas, os prefeitos de polícia poderão adotar medidas mais restritivas de circulação para reduzir a transmissão do coronavírus. Na região metropolitana de Paris, o uso da máscara vai se tornar obrigatório em todas as ruas a partir das 8h de sexta-feira (28), também para os ciclistas.

O uso da máscara já era obrigatório no transporte público da capital francesa, em lugares fechados e nas ruas mais movimentadas, sob pena de uma multa de 135 euros (R$ 889).

Desde terça-feira, em Marselha, os restaurantes e bares devem fechar suas portas às 23h. Os donos de restaurantes em Paris, setor já gravemente atingido pela crise da Covid-19, temem que a mesma medida seja adotada na capital.

“Devido ao novo surto do vírus, nosso objetivo é fazer todo o possível para evitar um novo confinamento geral e um grande fluxo de pacientes como o que vimos”, insistiu o primeiro-ministro.

Volta às aulas

Apesar do ressurgimento do vírus, as autoridades não pretendem adiar o retorno das crianças às aulas. Na próxima semana, mais de 13 milhões de crianças e adolescentes e cerca de 1 milhão de professores voltarão às aulas.

Nas escolas, todos os estudantes com mais de 11 anos e os professores deverão usar máscaras durante as aulas e também nos intervalos.

“A regra é simples: o uso da máscara é, a partir de agora, obrigatório em todos os espaços fechados onde estejam várias pessoas”, resumiu o primeiro-ministro.

Desde o início da pandemia, a França, país de 67 milhões de habitantes, perdeu 30,5 mil pacientes mortos pela Covid-19.