O governo dos Estados Unidos determinou que visitantes e funcionários da Casa Branca deverão usar máscaras. A decisão foi tomada após dois servidores receberem teste positivo para o novo coronavírus, inclusive uma assistente que trabalha muito próximo ao vice-presidente Mike Pence.

Em entrevista coletiva nesta tarde, o presidente Donald Trump disse que ele mesmo pediu o uso de máscaras — apesar de ele mesmo não ter vestido uma durante visita a uma fábrica de máscaras.

“Sim, eu mesmo pedi [que usassem máscaras]”, disse, em resposta a uma jornalista.

Porém, as diretrizes não obrigam o uso de máscaras em todo momento: caso estejam separados a seis pés (cerca de 1,8 metro) uns dos outros, os funcionários podem trabalhar sem a proteção. As medidas valem para a Ala Oeste da Casa Branca, setor que abriga órgãos governamentais.

O surto interno na Casa Branca ocorre em um momento em que Trump planeja uma reabertura gradual da economia — embora oposicionistas afirmem que ainda é cedo para restabelecer os serviços. Os Estados Unidos têm o maior número de casos e de mortes por Covid-19 no mundo: 1,3 milhão de pessoas foram infectadas e mais de 80 mil morreram por causa do novo coronavírus.

Medidas da Casa Branca

A sede do governo norte-americano já adotava uma série de medidas para prevenir o contágio interno, como verificação da temperatura corporal e distanciamento os postos de trabalho. Com os casos de coronavírus confirmados na semana passada, a máscara tornou-se obrigatória.

Além disso, quem precisa se aproximar de Trump ou de Pence tem de passar por um teste para checar se está ou não infectado com o novo coronavírus. Tanto o presidente como o vice também têm passado por checagens constantes.