Funcionários do Hospital Regional de Porto Nacional, na região central do estado, protestaram na tarde da segunda-feira (28) após homens armados invadirem a unidade e matarem um paciente. Eles pedem mais segurança no hospital e relatam que esta não é a primeira situação de violência que eles presenciam no trabalho.

Os funcionários contam que furtos são constantes, assim como casos de violência verbal contra a equipe. No começo do mês, uma funcionária foi agredida fisicamente pelo acompanhante de um paciente no local.

Durante a tarde, a equipe utilizou camisetas pretas com a frase ‘amanhã pode ser tarde, segurança já!’ na parte da frente. Atrás, a roupa tinha os dizerem ‘HRPN de luto’. O Governo do Tocantins foi procurado, mas ainda não se manifestou sobre a insegurança no local.

Em situações anteriores, como na série de furtos registrados no Hospital Geral de Palmas, a Secretaria de Saúde disse que está com uma licitação em aberto para melhorar a segurança em todas as unidades hospitalares do Tocantins. A SES nunca divulgou nenhuma previsão para quando as equipes de segurança devem começar a trabalhar.

O crime

Um paciente foi morto a tiros na manhã da segunda-feira (28) dentro do Hospital Regional de Porto Nacional, na região central do estado. De acordo com a Polícia Civil, a vítima foi baleada enquanto estava internada em um dos quartos da unidade, por volta do meio-dia.

Ainda segundo a polícia, o fato teria sido praticado por dois indivíduos que estariam usando capacete e fugiram logo após o crime. A Secretaria de Saúde informou que o homem assassinato estava internado porque tinha levado outro tiro no domingo (27).

O caso foi registrado na 11º Central de Atendimento de Porto Nacional. Peritos do Instituto de Criminalística estiveram no local onde realizaram os trabalhos necessários. O corpo da vítima foi levado ao Instituto Médico Legal de Porto Nacional, onde passará por exames de necropsia.

As informações são do  G1 Tocantins.