No ano passado foi especulado que o Google estava estudando permitir que os Chromebooks tivesse um modo dual-boot, para que, além do Chrome OS, os dispositivos tivessem como opção de sistema o Windows.

A ideia não foi pra frente, e agora, em um novo vídeo falando sobre os Chromebooks, o Google deu uma bela zoada no Windows. O vídeo promocional, conduzido pelo incrível cientista educacional Bill Nye, faz comparações entre o Chromebook e outros notebooks, citando como vantagens para o seu produto o tempo de boot e a proteção contra ameaças.

Em dado momento do vídeo Nye entra num carro todo velho e problemático. A placa exibe as seguintes letras WNDWS – Windows. Assim como qualquer automóvel muito antigo, que precisa de remendos constantes, o Google faz essa associação com o sistema da Microsoft. Uma plataforma problemática que precisa de eternos reparos, que no mundo do software são chamados de patches. “Isso sem contar o fato que leva uma eternidade para iniciar e não demorará muito para que congele”, diz o cientista no vídeo.

“Quem com ferro fere, com ferro será ferido”. Nos comentários do vídeo da propaganda do Chromebook, muitos usuários não deixaram barato a provocação ao Windows, aproveitaram para zoar os aparelhos que rodam o sistema do Google. Separamos alguns comentários. Confira abaixo:

 “After Effects, Magix Vegas, Audacity e Steam : dê-me estes quatro programas no Chomebook e eu posso até começar a usá-lo, até então, não, obrigado”

“A questão é: este vídeo foi editado no Chomebook? Se for, eu uso”

“Não, obrigado, eu estou bem com o meu Windows 10 com SSD, que é bem rápido. Até deixei meu Mac por causa de brechas de software”

“Chromebook. Quando você quer ter certeza de que o Google rastreia cada coisa que você faz no seu computador. Não, obrigado”