O Governo do Estado do Tocantins publicou no Diário Oficial do Estado (DOE) da última terça-feira, 6 de outubro, um novo reajuste na tabela de preços dos valores pagos em consultas médicas feitas pelo Plano de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Estado do Tocantins. Os novos valores buscam ampliar o trabalho dos profissionais da saúde que atuam junto ao Servir.

Contudo, o governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, esclarece que o reajuste não será repassado ao servidor público e seus dependentes. “Estamos aumentando os valores que são pagos aos médicos que atendem pelo Servir, o antigo Plansaúde. Essa é uma forma de valorizar mais o trabalho desses profissionais, que tanto estão dedicando suas atividades neste momento de pandemia. E o servidor público pode ficar tranquilo, pois nenhum reajuste vai ser repassado para a folha de pagamento. Tudo será pago por meio da contrapartida feita pelo Governo, com o objetivo de tornar o plano mais atrativo e eficiente, aumentando ainda mais nossa oferta de atendimento com mais profissionais especialistas”, explicou.

Os novos valores estão valendo com data retroativa de 1° de outubro.

Conforme a nova tabela, os valores passaram de R$ 75 para R$ 110 com as consultas eletivas de qualquer especialidade feitas em consultório. Quanto às consultas em pronto-atendimento, os valores saíram de R$ 100 para R$ 110 (pediatria) e demais especialidades de R$ 75 para R$ 85. E por fim, as visitas médicas em internações clínicas de qualquer especialidade, que foram reajustadas de R$ 40 para R$ 60.

De acordo com o secretário executivo da Secad e diretor do Servir, Ineijaim Siqueira, o reajuste foi necessário para cobrir os valores praticados anteriormente pelo Plano, que estavam defasados e pouco atrativos aos profissionais da saúde. “Com esse novo reajuste, o Governo vai melhorar diretamente o serviço ofertado para o servidor. Agora, o médico vai se sentir mais à vontade para atender no Servir, já que estamos com uma remuneração maior e mais próxima daquilo que é praticado no mercado lá fora. Isso também vai ampliar nossa cartela de especialistas em algumas áreas que estão com poucos profissionais, como por exemplo, na pediatra, neurologia e cardiologia”, afirmou.