Em reunião com a comissão de reestruturação do Plansaúde o governo estadual apresentou um novo modelo para o Plansaúde.

De acordo com a proposta, com a implantação do novo plano o servidor que ganha menos será terá que pagar mais, será administrado pelo servidor que poderá escolher qualquer plano de operadora credenciada pelo Estado, com reajuste anual de acordo com a operadora. A atuação se dará por meio da implementação de modelos protocolares de assistência pautados em pacotes.

Na reunião, o secretário da Administração, Geferson Barros informou que o novo modelo vem sendo discutido com a comissão há meses e que até um seminário para debater novas propostas já foi organizado pelo governo.

O secretário também informou que quer ouvir de todos os envolvidos quais as propostas e feedbacks em relação ao modelo apresentado, mas garantiu que o Estado não vai definir nada sem a participação de todos.

“O modelo que apresentamos, que se assemelha ao modelo já utilizado na esfera nacional é um pouco inviável, até porque onera tanto para o servidor quanto para o Estado. Mas sabemos que a longo prazo o Plansaúde é um sistema que está em colapso e precisamos de um modelo que esteja em equilíbrio”, explicou.