A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou que a Copa América deste ano será no Brasil. O torneio de futebol tem início marcado para daqui a 11 dias.

A Conmebol é a entidade máxima do futebol na região, e a Copa América é a competição que reúne as seleções de 10 países da América do Sul.

Veja a repercussão em jornais e sites do exterior:

O site do jornal argentino “Clarín” anunciou a mudança da sede dos jogos após a Argentina desistir de receber o campeonato por conta da segunda onda do coronavírus no país.

A publicação reforça, no entanto, que a situação da pandemia da Covid-19 no Brasil, nova sede do torneio, “não é muito melhor que a da Argentina”.

“Nos últimos dias houve uma média diária de 60 mil casos positivos de Covid, com uma média diária de 1.800 mortes na semana passada”, descreve o jornal.

O argentino “La Nación” diz que a escolha do país aconteceu “por eliminação” depois que o Chile, Equador, Uruguai e Paraguai também se recusaram a sediar o torneio – após Colômbia e Argentina darem para trás.

A publicação alerta, no entanto, que as primeiras cidades a receber os jogos da Copa América são aquelas que não terão partidas do Campeonato Brasileiro.

“[As primeiras sedes são as] que não têm jogos do Brasileirão e estão no nordeste do país, uma das zonas mais afetadas pela pandemia do coronavírus”, escreve o diário.

‘El Tiempo’ – Colômbia

No site do jornal colombiano “El Tiempo”, a reportagem relembra os mais de 460 mil mortos por coronavírus no Brasil ao anunciar a nova sede do campeonato da Conmebol.

A publicação relembra que a Argentina desistiu de sediar a disputa por não estar em “condições sanitárias” dias depois que a Colômbia deu para trás após um pedido de mudança nas datas.

‘El Deportivo’ – Chile

O jornal chileno “El Deportivo” – editado pelo mesmo grupo do “La Tercera”, principal publicação do país – reforça a situação da pandemia no Brasil, “um dos países mais afetados pela Covid-19”.

“No entanto, a Conmebol optou por levar o torneio ao país que apresenta a maior quantidade de contágios e mortes no subcontinente. As cifras são assustadoras. Somente nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 2.012 mortos, o que leva a 461.057 falecidos no total”, escreve a reportagem.