Mais de 100 pessoas morreram na Índia e no Nepal vítimas das inundações e dos deslizamentos de terra após vários dias de chuvas intensas, que destruíram casas e estradas, informaram nesta quarta-feira (20) as autoridades dos dois países, que também citaram vários desaparecidos.

O último balanço oficial na Índia contabilizou 85 mortos e 11 desaparecidos. Já o Nepal registrou 31 vítimas fatais e 43 desaparecidos.

O serviço meteorológico da Índia elevou o nível de alerta, com a previsão de chuvas “intensas” ou “muito intensas” na região durante os próximos dois dias. 

Em algumas regiões foram registrados mais de 400 mm de chuva na segunda-feira (18).

No estado de Uttarakhand, norte da Índia, fontes oficiais anunciaram 46 nortes e 11 pessoas desaparecidas. O estado de Kerala (sul) tem o balanço de 39 óbitos.

Das vítimas de Uttarakhand, ao menos 30 faleceram na madrugada de terça-feira em sete incidentes no distrito de Nainital, o mais afetado, após deslizamentos de terra e o desabamento de vários imóveis. 

Cinco vítimas eram da mesma família, que teve a casa soterrada por um deslizamento, informou à AFP um alto funcionário do governo local, Pradeep Jain.

No distrito de Almora (norte), o colapso de um muro de barro com grandes rochas destruiu uma casa e matou os cinco moradores.

Com o alerta meteorológico, as autoridades ordenaram o fechamento das escolas e proibiram todas as atividades religiosas e turísticas no estado.

Emissoras de televisão e vídeos publicados nas redes sociais mostram imagens de moradores caminhando com água na altura do joelho perto do lago Nainital, uma atração turística da região, e do rio Ganges nas proximidades de Rishikesh.

Mais de 100 turistas ficaram bloqueados na estação de Ramgarh em consequência da cheia do rio Kosi, que inundou várias localidades.

As inundações quase arrastaram um elefante perto da reserva de tigres Corbett, onde vivem 164 felinos e 600 elefantes, mas o paquiderme conseguiu enfrentar a corrente e nadar até um local seguro, segundo um vídeo que viralizou nas redes sociais.

Os deslizamentos de terra são um perigo habitual na região do Himalaia, no Nepal, mas os especialistas afirmam que são cada vez mais comuns pelo derretimento das geleiras e as chuvas cada vez mais erráticas. Há também o impacto da construção de represas hidrelétricas e do desmatamento.

Em fevereiro, uma inundação repentina devastou um vale do estado de Uttarakhand, matou quase 200 pessoas. A mesma região registrou 5.700 mortes em uma situação similar em 2013.

Muitos reservatórios do estado do sul do Nepal quase alcançaram o nível de alerta e as autoridades estão levando milhares de moradores para áreas seguras devido à cheia de alguns rios. Mais de 200 casas foram destruídas e quase 1.400 danificadas.

Em 2018, pelo menos 500 pessoas morreram nesta região costeira na inundação mais grave em um século.