Um novo público composto por pessoas com 60 anos ou mais, bem como professores das escolas públicas e privadas, começará a ser imunizado contra a gripe na Capital. A segunda etapa da 23ª Campanha Nacional contra a Influenza começa na terça-feira, dia 11, e segue até 08 de junho. A imunização do público da primeira fase, composto por gestantes, puérperas, crianças a partir dos seis meses e com menos de seis anos e trabalhadores da saúde de redes públicas e privadas, também continua.

A Secretaria Municipal da Saúde (Semus) reforça que deve ser respeitado um intervalo de 14 dias entre a aplicação da vacina contra a Influenza e a da Covid-19.

A meta da Semus é imunizar 55 mil pessoas contra a Influenza na cidade durante a campanha. Até a última semana, já haviam sido administradas quase 14 mil doses, sendo 8.633 crianças, 1.584 gestantes, 185 puérperas e 3.396 trabalhadores da saúde.

Na Capital, a vacina estará disponível nas salas de vacinas das Unidades de Saúde da Família (USFs), exceto nas unidades sentinelas, das 8 às 17 horas.

“É muito importante a imunização desses grupos prioritários contra a Influenza, pois são pessoas que podem desenvolver mais complicações. Além disso, na situação epidemiológica que nós estamos vivendo com a Covid-19, vale destacar que a Influenza também é decorrente de vírus respiratório, apresentando sintomas muito parecidos com a Covid, por isso a importância de se evitar a circulação desses dois agentes simultaneamente, para que não haja um grande número de internações”, salienta a enfermeira da Central Municipal de Vacinas (Cemuv), Juliana Araújo.

Para se vacinar é preciso apresentar documentos pessoais (RG ou CNH), Cartão SUS e o Cartão de Vacina. Conforme o Plano Nacional de Imunizações (PNI), a terceira etapa será de 9 de junho a 9 de julho para pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (comorbidades); pessoas com deficiência permanente; caminhoneiros; trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso; trabalhadores portuários; forças de segurança e salvamento; forças armadas; funcionários do sistema de privação de liberdade; população privada de liberdade; e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.