A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) disse que o líder do PSL na Câmara, o Major Vitor Hugo (PSL-GO), é “cachorro” do presidente Jair Bolsonaro e a pedido do chefe do Executivo atuou pela aprovação da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2022 com aumento no Fundo Eleitoral.

A LDO é a base do Projeto de Lei Orçamentária Anual. A proposta, que aguarda a sanção presidencial, permite que o valor do Fundo Eleitoral chegue R$ 5,7 bilhões em 2022. Nas eleições municipais de 2020, o valor desse fundo foi de cerca de R$ 2 bilhões.

Dos 54 deputados do PSL, somente 6, incluindo Joice, votaram contra a aprovação da LDO, contrariando orientação do governo e do líder do partido na Câmara.

“A responsabilidade é do líder, sim, mas ele é cachorro do presidente da República. Quando o dono do cachorro manda o cachorro morder, a culpa não é só do cachorro, mas, principalmente, do dono do cachorro, que adestrou o cachorro a morder”, disse em entrevista ao O Antagonista.

“O líder do PSL na Câmara hoje é o cachorro do presidente da República. Ele não dá um passo sem que o presidente da República mande”, afirmou.

Para a deputada, “não só o PSL está até o nariz envolvido” na aprovação do que ela chamou de “golpe do fundão”, como o Palácio do Planalto, que segundo ela, “faz discurso furado agora”.

“É isto. Tudo aconteceu com o conhecimento prévio de todos os parlamentares bolsonaristas. Foi enviada uma nota técnica para todos. A participação do governo federal foi ativa, em 2021 e também em 2019, para o aumento do fundão eleitoral”, disse no Instagram.

Joice foi eleita em 2018 com o apoio de bolsonaristas. Já foi líder do governo no Congresso. Porém, após conflitos com Bolsonaro e seus filhos, pediu, em junho deste ano, ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para deixar o partido.