A Justiça do Tocantins determinou que todos os 40 fóruns existentes no estado devem ter segurança armada para controlar a movimentação de pessoas no interior dos prédios. Anteriormente, apenas sete deles contavam com o serviço. Para a mudança, foram autorizadas as contratações de três empresas particulares de vigilância.

De acordo com o Tribunal de Justiça, não haverá acréscimo no valor pago pela segurança porque foi feito um remanejamento dos recursos. Os pagamentos que eram destinados a uma única empresa para prestar o serviço foram divididos e isso possibilitou a participação de mais concorrentes no edital, o que possibilitou a contratação das três vencedoras pelo mesmo valor praticado anteriormente.

A Assessoria Militar do TJ afirmou que a alteração atende a pedidos das comarcas do interior, uma vez que os fóruns que já contavam com a segurança eram apenas os de grande porte. A Justiça não relatou nenhuma ameaça específica aos servidores que tenha gerado estas solicitações.

“A presença desse vigilante, mesmo na maioria delas sendo no horário de expediente, que é o horário de maior circulação de pessoas que procuram o Poder Judiciário, traz uma real sensação de segurança para cidadãos, servidores, magistrados e autoridades”, disse o coronel da Polícia Militar do Tocantins, João Márcio Costa Miranda, que comanda a Assessoria Militar.

O número de postos de segurança total, considerando as entradas e saídas de todos os prédios da Justiça, é de 64. Os representantes das empresas vencedoras da licitação estiveram na terça-feira (18) na sede do TJ para acertar os detalhes da prestação do serviço.

Por  G1 Tocantins.