A Justiça Eleitoral do Tocantins deu início  à elaboração do Planejamento Integrado das Eleições 2022. Por meio de oficinas setoriais com gestores dos processos e equipe da Assessoria de Pesquisa, Estratégia e Gestão da Qualidade (ASPEQ) são estabelecidos os objetivos a curto, médio e longo prazo, desdobrados na previsão das atividades e tarefas para cada processo que envolve o pleito, bem como são avaliados os riscos inerentes. A fase de planejamento segue até dia 30 de junho.

O processo de Diplomação foi o primeiro a ser planejado, e a oficina contou com a participação da Secretária Judiciária e Gestão da Informação, Regina Reis; das servidoras da Seção de Acórdãos, Resoluções e Apoio ao Pleno (SEARA), Monalisa Miranda e Paula Santos; e de Paula Bittencourt e Eva Bandeira Barros, da Assessoria de Comunicação (ASCOM).

O Assessor ASPEQ, José Paiva, explicou que a elaboração do planejamento é feita por meio do sistema de Padronização de Logística – PADLOG, no qual é possível visualizar o gerenciamento das atividades por meio do ciclo PDCA, ou ciclo da melhoria contínua, em atendimento aos anseios dos gestores e clientes dos serviços da Justiça Eleitoral. “Essa etapa de planejamento é essencial para o aperfeiçoamento contínuo dos processos. Utilizamos uma metodologia de planejamento fundamentada na gestão por processos e na aplicação dos princípios da qualidade, estabelecendo um ciclo de melhoria contínua através do acompanhamento periódico que favorece a transparência na execução dos processos e procedimentos, além de permitir a revisão das ações e dos projetos em andamento, possibilitando a correção de rumos e, se necessário, viabilização quanto ao alcance dos objetivos estipulados. Esse método propicia, a cada ciclo eleitoral, o aperfeiçoamento do processo de planejamento das eleições com vistas a tornar o processo eleitoral, ainda mais transparente, célere e eficaz”, disse Paiva.

Após o fim das oficinas, o planejamento será consolidado e homologado pela Presidência do TRE-TO.

Escopo

No TRE – TO a organização das eleições e a condução do processo eleitoral estão fundamentadas nos princípios da gestão da qualidade, certificado conforme os padrões da norma NBR ISO 9001:2015 e do Programa de Qualidade da Justiça Eleitoral (PQJE). Atualmente conta com 20 processos de trabalho: Gerir a estratégia, Gerir o planejamento das eleições; Gerir a comunicação institucional; Prover excelência no atendimento ao cidadão-usuário; Gerir logística para Zonas Eleitorais; Monitorar o trâmite processual judicial do 1º Grau; Monitorar o trâmite processual judicial do 2º Grau; Apurar votação; Diplomar eleitos e suplentes; Gerir o orçamento; Gestão de Pessoas – alocar e desenvolver; Gerir urnas eletrônicas; Gerir bens e serviços; Prover infraestrutura tecnológica; Orientar e processar prestação de contas de campanha eleitoral; Ouvir o cliente/ cidadão-usuário; Inspecionar os cartórios eleitorais; Monitorar o cadastro de eleitores; Monitorar votação; e Auditar o funcionamento das urnas eletrônicas.