Após viralizar nas redes sociais com o duro pronunciamento feito contra o ex-chanceler Ernesto Araújo na Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia da Covid-19, a senadora Kátia Abreu (Progressistas) foi personagem de uma entrevista do Universa, plataforma do portal UOL voltada para as mulheres.

Presidência ou governo é destino

Questionada sobre a possibilidade de candidatar-se a presidente da República em 2022, Kátia Abreu disse que “coragem não lhe falta” e revelou que aceitaria o desafio com “a maior alegria do mundo” se o Progressistas visse condições no projeto. Mas avisou: “Você não se candidata com a certeza de ganhar, mas pela luta e por seus ideais. A Presidência da República, a governadoria do Estado, é destino”.

Mudança de estratégia

Kátia Abreu também admitiu uma mudança de postura em relação à questão ambiental, destacando que o próprio mercado tem cobrado preocupação com esta área, o que influencia nos negócios. “Por proteger e ser líder do setor agropecuário, mudei as minhas estratégias. Reconheci e vi a importância do meio ambiente para os consumidores do Brasil e do mundo — são nossos clientes e temos que respeitar o desejo do consumidor. E se o desejo dele é preservar e não querer desmatar a Amazônia, quem sou eu para dizer o contrário?”, indagou.

Em defesa de Irajá

A congressista ainda não se privou de sair em defesa do filho, senador Irajá Abreu (PSD), acusado de ter estuprado uma modelo de 22 anos. Conforme o Universa, a defesa do parlamentar disse confiar no arquivamento do inquérito, que está em fase de conclusão. “A mãe sempre vê o filho com bons olhos. Pela minha característica, sou muito positiva, franca e sincera. Tenho a convicção e falo isso com toda a tranquilidade do mundo, e não só com os olhos do coração e da alma, de que meu filho jamais seria capaz de fazer aquilo. […] Não quero criminalizar a moça sob hipótese alguma, mas conhecendo meu filho como conheço, diria que ele foi caluniado”, disse.