Em manifestações feitas à imprensa Nacional, a parlamentar tocantinense destacou que o torneio seria uma forma de desviar o foco das pessoas enquanto o país vive um momento crítico da pandemia, aproximando-se de 463 mil mortes. “Nós não temos nada para comemorar. Essa cortina de fumaça, nós não vamos aceitar. Copa América? Só se for a seleção dos intubados, dos que estão com Covid, dos que morreram… É isso que nós queremos? Uma Copa América para comemorar o quê?”, questionou a senadora durante entrevista à GloboNews.

Kátia criticou o campeonato e disse que a realização da competição no país é uma afronta ao povo brasileiro. “Copa América, nesta altura do campeonato, é dar um tapa no rosto das vítimas”, disse.

A confirmação de que o Brasil seria sede da Copa América foi confirmada na manhã da última segunda-feira, 31 pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). O acordo teria firmado após a Argentina, através de um comunicado do Ministro do Interior daquele país, Wado de Pedro, confirmar que não teria condições de sediar o torneio pela piora da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

O evento acontece entre os dias 13 de junho e 10 de julho, com a participação de 10 seleções divididas em dois grupos. Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai estão no Grupo A. Brasil, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela formam o Grupo B.