Palmas é a cidade mais atingida pela Covid-19 no Tocantins, quase 10% da população foi infectada. A vacina CoronaVac chegou com expectativa de redução dos casos, mas uma semana após o município receber as 3.331 doses, 90% ainda não foram usadas. A central de imunização disse que definir a prioridade dentro do grupo prioritário demandou tempo.

“A principal dificuldade nossa foi o quantitativo de vacinas recebido. A gente tinha expectativa de receber um montante para vacinar 100% dos nossos profissionais e a gente recebeu 34%. Então com isso a gente teve que reformular alguns critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde pra que a gente pudesse realmente com segurança e transparência distribuir estas vacinas” explica Elaine Katzwinkel, responsável pela central de imunização da Secretaria Municipal de Saúde.

Em cidades do interior, mesmo com poucas doses, as vacinas não foram totalmente usadas. Abreulândia recebeu 20 doses na quinta-feira. Cinco dias depois ainda está imunizando.

“No último dia 21 de janeiro recebemos em nosso município as primeiras doses da vacina contra a Covid-19. Foram 20 doses e por orientação do Ministério da Saúde destinadas ao profissionais de linha de frente. Vacinando assim um total de 34% dos nossos profissionais da área da saúde”, diz o secretário da saúde da cidade, Silvio Henrique de Sousa.

Em Paranã as 78 doses recebidas ainda estão sendo usadas. “Recebemos 78 doses do Estado do Tocantins e todas as doses foram direcionadas aos trabalhadores da saúde que estão trabalhando no combate ao coronavírus. Também tomamos medidas para testagem e também para o acesso do tratamento de sintomáticos e assintomáticos”, disse o prefeito Fábio da Farmácia.

A Secretaria de Saúde do Tocantins ainda não tem o controle da vacinação nos municípios e nenhuma previsão de quando vai divulgar o balanço da campanha. Os Ministérios Públicos Federal, do Estado e do Trabalho pediram mais transparência das informações sobre a vacina.

Além da quantidade de pessoas vacinadas, os órgãos querem saber o volume de vacinas que estão por vir. “É importante dizer que existe um sistema do Ministério da Saúde que deve ser alimentado por todos os estados. Ontem foi cobrado que o Estado do Tocantins alimente esse sistema para que toda a população do Tocantins, a imprensa e os órgãos de controle de uma maneira geral acompanhem a evolução da vacinas nos 139 municípios do Tocantins”, explica a promotora Araína D’Alessandro

Mesmo com os questionamentos o secretário Edgar Tolini disse que a contabilidade dos vacinados cabe aos municípios. “Todo mundo tem que ter a responsabilidade de informar exatamente. E os secretários municipais, nós já tivemos várias reuniões, esse é um momento esperado e que acima de tudo eles podem dar a resposta o mais rápido possível para que a gente possa informar o Ministério da Saúde e que possamos dar continuidade para que continue chegando mais vacinas e que a gente amplie essa oferta a todo mundo que precisa”.

Em oito dias o Tocantins recebeu 60,9 mil doses. Primeiro 44 mil da CoronaVac, depois 11,5 mil da AstraZeneca e na madrugada desta terça-feira mais 5,4 mil da CoronaVac.

As informações são do  G1 Tocantins.