O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mantém vantagem sobre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na disputa à Presidência da República. No segundo turno, o petista tem 56% das intenções de voto enquanto Bolsonaro chega a 31%. Em julho, este número estava em 58% e 31%, respectivamente.

Com a corrida eleitoral do próximo ano estagnada, os demais candidatos seguem no mesmo lugar – assim como os nomes da chamada terceira via, que surgiram para contrapor a disputa entre Lula e Bolsonaro, após os atos de 7 de Setembro, que também não alteram o quadro.

Os dados são da pesquisa Datafolha, realizada entre os dias 13 a 15 de setembro, e divulgada nesta sexta-feira (17).

Em um cenário de primeiro turno, Lula oscila de 46% para 44% e Bolsonaro, de 25% para 26%. Considerando João Doria (PSDB) como candidato, ele passa de 5% para 4%. Nesse cenário, Ciro Gomes (PDT) segue em terceiro (de 8% para 9%) – dentro da margem de erro e no cenário estimulado.

Com o nome do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) – que oscila entre 3% e 4 % – Lula vai de 46% para 42%, e Bolsonaro se mantém com 25%. Já Ciro Gomes (PDT) sobe de 9% a 12%.

Estes cenários ainda incluem cerca de 10% de votos brancos, nulos ou em nenhum dos indicados.

Nas respostas espontâneas, o petista também lidera e tem de 21% a 27%. Bolsonaro vai de 17% a 20% e está em segundo. Entre os que declararam não saber, este número vai de 49% (em maio) para 38%.

Lula mantém vantagem no segundo turno

No cenário para segundo turno das eleições, Lula se mantém na liderança. Na pesquisa, Lula tem 56% e Bolsonaro 31% – na pesquisa anterior, este número estava em 58% a 31% em julho.

Doria perderia para Lula por 55% a 23% – 56% a 22% em julho – e Ciro, por 51% a 29%.

Entre os entrevistados na pesquisa, 65% entre quem ganha até dois salários mínimos votaria em Lula e 57% entre os empresários votariam em Bolsonaro.

No Nordeste, Lula marca 61% das intenções de voto e 42% quando a pergunta é respondida de forma espontânea, sem a apresentação dos nomes dos candidatos.

A pesquisa Datafolha foi realizada de forma presencial com 3.667 pessoas com 16 anos ou mais entre os dias 13 e 15 de setembro. A margem de erro máxima é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Rejeição ao governo Bolsonaro

Nesta quinta-feira (16), o Datafolha revelou que a rejeição ao governo Bolsonaro atingiu o pior patamar desde o início do mandato – ao todo, 53% dos consultados pelo instituto consideram o trabalho do governo ruim ou péssimo.

A reprovação subiu de 51% na última pesquisa, realizada em julho, para os atuais 53% – esta foi a primeira pesquisa de avaliação do governo após os atos de 7 de Setembro.