O candidato do MDB à Presidência da República, Henrique Meirelles, reiterou que não é o candidato do governo e se esquivou de avaliar a gestão do presidente Michel Temer, de quem foi ministro da Fazenda até abril.

Ao ser questionado por jornalistas, o presidenciável voltou a afirmar o que disse à plateia do evento em que participou em São Paulo: que não é o candidato do governo e sim o candidato de sua história, citando o período como presidente do Banco Central e sua passagem como ministro.

Meirelles já havia adotado discurso semelhante na ocasião da convenção do MDB que o confirmou como candidato e contou com discurso de apoio de Temer.

“Eu sou candidato de tudo aquilo que já fiz no governo e antes. Essa experiência eu vou colocar à disposição do povo brasileiro. E no momento que a população conhece a verdade, tem acesso a essas informações dizem ‘nesse aí eu vou votar'”, afirmou na ocasião, acrescentando que não era uma questão de descolamento ou não de Temer.

Meirelles durante evento em São Paulo© REUTERS/Paulo Whitaker Meirelles durante evento em São Paulo

Nesta terça-feira, Meirelles disse tem porque selecionar apoios. “Não estou aqui selecionando quem pode ou não pode me apoiar, seria uma arrogância”, disse Meirelles após afirmar que aceita o apoio de Temer, que já endossou o candidato publicamente.

O emedebista também se esquivou de avaliar o governo Temer, mas disse avaliar o seu trabalho à frente da Fazenda como ótimo.

A impopularidade do governo Temer, que alcançou 82 por cento em junho, segundo o Datafolha, não interfere em “absolutamente nada” na sua candidatura, avaliou.