O início da campanha de vacinação contra a Covid-19 no Tocantins completa um mês nesta quinta-feira (18). Foi em 18 de janeiro de 2021 que a enfermeira Edileuza Ferreira dos Santos, de 52 anos, recebeu a primeira dose. A imagem levou esperança para os tocantinenses, que há quase um ano convivem com a pandemia. Mas 31 dias depois, os que receberam a vacina no estado ainda são poucos.

A atualização mais recente do ‘Vacinômetro’, feita na tarde da quarta-feira (17), mostra que até o momento apenas 29.439 tocantinenses foram vacinados. Isso representa 1,85% da população do estado, que segundo o IBGE é de 1.590.248 pessoas.

Nesta quarta-feira o portal que é atualizado pela Secretaria de Estado da Saúde mostra o total de 29.144 moradores como tendo recebido apenas a primeira dose e 295 que já receberam a segunda. O número de vacinados que receberam a dose de reforço diminuiu de terça para quarta-feira, segundo os dados do painel, antes eram 497. O G1 questionou a SES sobre o motivo da diminuição para saber se houve erro em alguma das atualizações e ainda aguarda retorno.

A lentidão na aplicação das doses, que é feita pelas secretarias municipais de saúde, tem preocupado órgãos de controle, assim como denúncias de que a fila de prioridades pode ter sido desrespeitada. Há ações sobre o assunto em andamento na Justiça.

O Tocantins recebeu, somando todas as remessas do Ministério da Saúde, 106.500 doses de vacinas. Isso seria suficiente para que 6,7% da população recebesse uma dose da vacina ou para que 3,35% dos moradores já tivessem recebido as duas doses.

No estado há doses tanto da vacina produzida por Butantan/Sinovac como da feita por Fiocruz/Oxford/AstraZeneca.

Como há um intervalo obrigatório entre a aplicação da primeira e da segunda dose, nem todas as vacinas que chegaram ao Tocantins foram distribuídas aos municípios. Das 106.500 apenas 69.013 já estão com as prefeituras para a aplicação. As demais ficam guardadas nas centrais de distribuição de Palmas e Araguaína, aguardando a data em que serão necessárias.

O intervalo de aplicação entre as doses varia de acordo com a fabricante. Para a CoronaVac é de 21 a 28 dias. Já para a vacina de Oxford pode chegar a até três meses.

A Secretaria de Saúde também foi procurara pelo G1 para saber se há previsão de novas remessas de vacinas ao estado. A resposta foi de que a SES “aguarda manifestação do Ministério da Saúde (MS), sobre envio de novas remessas de vacinas contra a Covid-19, para o Tocantins, bem como a determinação de novos grupos prioritários”.

Na quarta-feira (17) houve uma reunião virtual de representantes do governo com o ministro da saúde Eduardo Pazuello. O assunto foi justamente a distribuição das vacinas. O ministro disse que 230,7 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 serão entregues até 31 de julho em todo o país. Não foi divulgado quantas destas doses serão destinadas a cada estado e em qual data elas devem chegar ao Tocantins.

As informações são do  G1 Tocantins.