Todas as gestantes foram incluídas no grupo prioritário de vacinação e vão receber os imunizantes da CoronaVac, AstraZeneca e também da Pfizer – que começará a ser distribuído no início de maio. Inicialmente, serão vacinadas as grávidas e mulheres de até 45 dias de pós-parto (puérperas) com comorbidades.

Em audiência na Câmara, a coordenadora do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, Franciele Francinato, explicou que apenas a vacina da Pfazier não atenderia todas as gestantes do país. Segundo a coordenadora, as três vacinas “não contém agente vivos que podem se replicar no organismo”, por isso são indicadas. Uma nota técnica foi enviada aos estados com as orientações.

— A gente vai alterar um pouco a recomendação da OMS ( Organização Mundial de Saúde) . Hoje, a OMS indica a vacinação de acordo com o risco benefício, mas o risco de não vacinar gestante, com o momento epidêmico que nós vivenciamos já se justifica na introdução deste grupo para que ele seja vacinado- — explicou Franciele.

Em uma segunda fase, serão vacinadas as mulheres grávidas independente de ter uma condição de doença pré- existente.

Em 15 de março, o governo já tinha incluído as gestantes com comorbidades. Na semana passada, entidades médicas emitiram um comunicado conjunto anunciando apoio à decisão do Ministério da Saúde de recomendar a vacinação contra Covid-19 para gestante.