O Ministério da Saúde lançou a campanha de conscientização sobre medidas preventivas e vacinação contra a covid-19, em cerimônia no Teatro do CCBB (Centro Cultural do Banco do Brasil), em Brasília. O presidente Jair Bolsonaro não participou do lançamento.

A campanha tem como slogan “Brasil unido, pátria vacinada”. O vídeo publicitário mostra Zé Gotinha, o mascote usado pela pasta desde 1986 em campanhas de vacinação, com sua família falando sobre medidas de prevenção do coronavírus. Todos estão de máscara.

Em um diálogo curto, os personagens falam sobre a importância da vacina contra covid-19 e de tomar as duas doses, além da importância de adotar medidas de higiene e de manter o distanciamento social. No final, destacam: “Assim, você cuida da sua família, da sua renda e do Brasil”.

“O Zé Gotinha convocou toda a família para lembrar que precisamos continuar nos cuidando! Tem que lembrar de sair de máscara, lavar as mãos com água e sabão, além de manter distância segura e os ambientes ventilados. Se for a sua vez, vacine já. E lembre-se de tomar a 2ª dose. Contra a Covid-19, o cuidado é de cada um e o benefício é de todos”, disse o ministério ao divulgar o vídeo nas redes sociais.

Em um trecho, o vídeo informa ainda que o governo federal distribuiu “quase 80 milhões de doses de vacina” contra a covid.

“O governo tem o objetivo de reforçar cada vez mais a campanha e alertar sobre medidas não farmacológicas, como uso de máscaras”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante o lançamento da campanha.

Segundo Queiroga, a campanha visa a dar qualidade à comunicação com a sociedade, tendo por base “mensagens calcadas em evidências científicas”. Para tanto, a estratégia é a de atuar de forma conjunta com outras pastas, de forma a buscar “mais eficiência na luta contra essa emergência sanitária que afeta o Brasil e o mundo”.

No evento, também foi apresentada a Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19. A nova secretária é a médica infectologista Luana Araújo.

“O objetivo da secretaria é coordenar a resposta nacional à Covid-19, em diálogo permanente com todos os atores: Governo Federal, estados, municípios, agentes públicos, sociedade científica, organizações internacionais, imprensa e, acima de tudo, com a população brasileira”, disse Luana Araújo.