O Ministério Público do Tocantins (MPTO) se manifestou  sobre a polêmica declaração do prefeito de Araguatins, Aquiles da Areia (PSD), que liberou a temporada de praia no município.

Em ofício enviado ao gestor, o MPTO lembra da existência de um decreto municipal que proíbe aglomeração de pessoas como forma de prevenir o contágio da covid-19.

O Promotor de Justiça Décio Gueirado ressalta que a liberação da praia incentivará a frequência de turistas, ferindo, consequentemente, o próprio decreto do município, que é válido até 30 de junho.

Diante da proximidade do fim da vigência do decreto, o MPTO estuda a possibilidade de expedir nova recomendação ao Município para que as medidas sejam prorrogadas.

O promotor deu prazo de 2 dias para que o Município responda o ofício. Araguatins fica na região do Bico do Papagaio.

Entenda

Durante lançamento de obras de pavimentação asfáltica no centro de Araguatins, na terça-feira (15), o prefeito Aquiles Pereira Souza afirmou que não vai “baixar lockdown caramba nenhuma” (sic) nem impedir o povo de ir à praia.

“Toda hora chega uma cobrança: ‘prefeito baixa o lockdown’. Eu vou baixar lockdown caramba nenhuma”, declarou o prefeito. “Quem quiser que vá, quem morreu, morreu; quem escapou, escapou. Vamos pra cima meus amigos”, afirmou.

Ainda durante o discurso, Aquiles disse que não vai colocar nenhum tipo de impedimento para acesso à praia e ele próprio irá aproveitar a temporada de veraneio.

“Eu não vou amordaçar o povo. Só se eu colocar um muro de Berlim no Rio Araguaia todinho pro povo não ir pra praia, e isso eu não vou fazer. Quem quiser, todo mundo aqui é de maior, quem quiser ir pra praia que vá, quem quiser ficar que fique”,