O ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse  que a estratégia do governo é “enxugar” a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e não privatizar agora, como já foi cogitado. O ministro justificou que a empresa é deficitária e não haveria interessados em comprar a estatal.

— A EBC, diferente dos Correios, é deficitária. Provavelmente, se a gente abrir um processo de privatização da EBC seria um deserto. É uma empresa que se fosse privada daria mais de R$ 500 milhões de prejuízo — disse o ministro em entrevista ao site UOL.

Faria explicou que primeiro é preciso colocar “a despesa dentro de receita” para que depois possa pensar em uma privatização. Segundo ele, o governo deve preparar um programa de demissão voluntária.

Ele disse também que o presidente Jair Bolsonaro aprovou o nome do ex-diretor do SBT, o publicitário Glen Valente para assumir o comando da EBC e que a nomeação deve sair “a qualquer momento”. Atualmente, Valente ocupa o cargo de secretário de Publicidade e Promoção na Secretaria de Comunicação.

A EBC, conglomerado de mídia estatal, responde pela TV Brasil, pela Agência Brasil e por diversas emissoras de rádio, incluindo a Rádio Nacional.