O deputado Luis Miranda (DEM-DF) afirmou que seu irmão, o servidor Luís Ricardo Miranda, foi bloqueado do SEI (Sistema Eletrônico de Informações) do Ministério da Saúde. Luís Ricardo é servidor da pasta.

O deputado divulgou o bloqueio por meio de seu perfil no Twitter. Na publicação, Miranda mostra a imagem da conversa com seu irmão. Na conversa, o servidor enviou uma foto em que é possível ver a interface do SEI e a mensagem: “Usuário não possui permissão neste sistema”.

Miranda afirmou que o bloqueio é  perseguição. “Aos defensores de bandidos, meu irmão acaba de descobrir que bloquearam ele do sistema do Ministério da Saúde, vale ressaltar que ele é funcionário de carreira! Isso é ilegal, perseguição e só comprova que eles tem muito para esconder…”

Luis Ricardo depôs na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado junto com o irmão sobre supostas irregularidades na compra da vacina Covaxin. Segundo eles, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sabia dos problemas no contrato de aquisição das doses pelo Ministério da Saúde.

O servidor da Saúde teria alertado o presidente sobre a pressão excessiva que vinha sofrendo de superiores para liberar a importação da vacina indiana.

O deputado Miranda insinuou, em entrevista à CNN Brasil no sábado (26.jun), que seu irmão poderia ter gravado a conversa com o presidente.

“Vou sempre dizer que não existe da minha parte [uma gravação]. E ninguém perguntou para o meu irmão [na CPI]. Assunto encerrado. Meu irmão não mentiu”, disse Miranda. “Mas eu não estava sozinho no encontro. Eu, como parlamentar, não iria gravar um presidente.”