Pelo menos 50 pessoas morreram na terça-feira (23) após motins de presos em três presídios no Equador, informaram as autoridades.

” A  Criminalística relatou  mais de 50 PPL (pessoas privadas de liberdade) falecidos”, informou a instituição por meio do Twitter.

A violência atingiu as prisões do porto de Guayaquil (sudoeste) e as cidades andinas de Cuenca e Latacunga (ambas no sul). A polícia não especificou se já restaurou a ordem nos estabelecimentos.

Por seu lado, o presidente equatoriano Lenín Moreno atribuiu os motins a “organizações criminosas” que atacam simultaneamente.

As autoridades “estão agindo para retomar o controle das prisões”, disse o presidente na mesma rede social.