A eleição do Conselho Tutelar de Araguatins, no norte do Tocantins, está sendo investigada por suspeita de compra de votos e abusivo uso de transporte de eleitores não autorizado pela comissão do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA).

A investigação está sendo realizada pelo promotor de justiça Décio Gueirado Júnior, da 2ª Promotoria de Justiça da cidade. O inquérito foi instaurado no dia 10 de outubro, quatro dias após a votação.

No total, 20 candidatos disputaram 5 vagas para conselheiros e seus respectivos suplentes em Araguatins. Os eleitos foram Jacqueline Andrade (857 votos); Daiana Araújo (751 votos); Kelmy Paz (617 votos); Maria dos Santos (576 votos) e Dioneis Brito (537 votos).

O promotor de justiça determinou envio de cópia do inquérito para o presidente do CMDCA para conhecimento e efetiva participação na instrução do procedimento e sugeriu a não homologação do resultado final até que as investigações sejam concluídas.

O promotor Décio Gueirado também comunicou a Secretaria de Ação Social e solicitou suporte nas apurações.

Em Araguaína, um grupo de candidatos ao Conselho Tutelar também denunciou ao Ministério Público do Tocantins várias irregularidades na eleição e pediu anulação da votação.