O navio-escola Cisne Branco, da Marinha do Brasil, se chocou nesta segunda-feira (18) com uma ponte do porto equatoriano de Guayaquil, sem deixar vítimas, no que foi classificado como acidente pela Marinha equatoriana.

Os mastros do veleiro majestoso se chocaram contra uma ponte basculante para pedestres sobre o rio Guayas, sem que um rebocador tenha conseguido evitar a colisão.

A Marinha equatoriana destacou em um comunicado que o “acidente” ocorreu “durante a manobra de desatracamento” e que um de seus rebocadores afundou ao tentar ajudar o Cisne Branco.

Um dos mastros do veleiro, que chegou a Guayaquil no sábado (16) no âmbito de um cruzeiro internacional, se rompeu, segundo imagens divulgadas no Twitter.

O capitão do porto, comandante Danilo Espinoza, informou no mesmo comunicado que “não há vítimas humanas, nem feridos, e será aberto o respectivo sumário administrativo para a investigação correspondente sobre esse acidente marítimo”.

Ele acrescentou que o veleiro “será levado novamente até o cais do Yacht Club [de Guayaquil] para a revisão técnica pertinente”.