A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou dados sobre acidentes nas rodovias federais brasileiras registrados em 2020. As informações a respeito do Tocantins mostram que mesmo durante a pandemia houve aumento da violência no trânsito. Pela primeira vez em cinco anos, o estado viu o número de acidente aumentar nas estradas federais.

Em 2020 foram 595 acidentes nas BRs que cortam o estado. O total anual vinha caindo desde 2014, quando foi registrado o número recorde de 1.301 acidentes. Em 2019 o resultado havia sido de 519 ocorrências, o menor da série histórica que começa em 2007.

Ainda segundo o levantamento, os acidentes de 2020 deixaram 98 mortos nas estradas. O número é o maior em quatro anos. Mais de 80% das vítimas eram homem. Foram 79 mortes de pessoas do sexo masculino contra 19 de mulheres. A faixa etária mais afetada é a de pessoas com mais de 43 anos, que concentra 43,9% das mortes.

A BR-153, também conhecida como Belém-Brasília, é a que domina o ranking das rodovias mais perigosas do estado. Apenas esta estrada concentrou 398 acidentes e 85 mortes ao longo do ano. Esta rodovia corta o Tocantins de norte a sul e é a mais movimentada, principalmente pelo volume de carga que transita pelo local.

O tipo mais frequente de acidentes com vítimas no Tocantins é a colisão. Foram 263ocorrências (55,6% do total) em 2020. A segunda colocação fica com as saídas de pista, com 90 casos (19% do total).

Segundo a CNT, correram, em média, 29 acidentes com vítimas a cada 100 km de rodovia no Tocantins em 2020.

As informações são do  G1 Tocantins.