Em seu seminário, chamado de ‘rui-katsu’ (“em busca de lágrimas”, em tradução livre), Yoshida usa filmes tristes, cartas e mesmo paisagens naturais para ajudar pessoas no Japão a expressar suas emoções através do choro.

Em seu trabalho, o professor oferece apoio emocional e um espaço seguro para pessoas que têm dificuldade de se conectar e expressar seus sentimentos, muitas vezes por causa de tabus culturais.

“Muitos japoneses têm uma visão negativa sobre o choro. Um dos meus objetivos é ajudar as pessoas a se livrarem da crença de que não devem chorar”, diz.

Participantes do rui-katsu descrevem uma sensação “revigorante” após conseguirem colocar suas emoções para fora — e, para alguns, a experiência pode ser até espiritual.