O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos pediu ao Iraque uma investigação rápida e transparente sobre os mortos registrados nos últimos dias na repressão às manifestações, cujas exigências considera legítimas.

“Pedimos ao governo iraquiano que permita à população exercer seu direito a assembleia pacífica e liberdade de expressão”, disse Marta Hurtado, porta-voz do Alto Comissário, em uma entrevista coletiva em Genebra.

Seu pedido acontece no quarto dia de manifestações no Iraque, onde os mortos já são mais de 30.

Os protestos exigem melhores serviços públicos, emprego para jovens e o fim da corrupção.

“Estamos preocupados com informações que indicam que a polícia usa balas de borracha e munição real em algumas áreas e que jogou gás lacrimogêneo contra os manifestantes”, acrescentou a porta-voz.

“Todos os incidentes em que policiais causaram mortes e feridos devem ser submetidos a uma investigação rápida, independente e transparente”, segundo a porta-voz.