Três dias antes das primeiras mortes por falta de oxigênio nos hospitais do município de Faro, a Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa) havia informado que os níveis de oxigênio estavam “regulares, atendendo com normalidade às demandas” de paciente internado devido à complicações da covid-19. Na última terça-feira (19/1), porém, a Sespa confirmou a morte de seis pessoas por falta de oxigênio “em decorrência de complicações da doença e ausência de estrutura hospitalar no município”.

Na semana anterior aos relatos de falta de oxigênio no estado, a Secretaria de Saúde havia comunicado que empresas responsáveis pela fabricação e envasamento do oxigênio poderiam atender outros estados. “O estado conta com uma capacidade de 58 mil metros cúbicos diários, que consegue atender toda a demanda dos estados do Pará e Amapá, além de ter suporte logístico com outras regiões do país, se necessário”, informou comunicado da pasta.

A secretaria informou que cada prefeitura é responsável pela manutenção de contratos e aquisição do produto para abastecimento local. O governador do estado, Hélder Barbalho (MDB), disse que administradores públicos estão a caminho de Faro para debater o tema. “Tive a comunicação de que as empresas que fornecem oxigênio têm condições de atender, mas dependem das solicitações de cada município. E para que não haja ruído, tanto o Sipriano (Ferraz, secretário adjunto da Secretaria de Estado de Saúde Pública) quanto o Henderson (Pinto, secretário regional de Governo do Baixo Amazonas) irão pessoalmente a Faro para discutir esse assunto”, afirmou.

Transporte de oxigênio

O governo do Pará informou, nesta quarta-feira, que o Ministério da Defesa autorizou o deslocamento de uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) para fazer o transporte de uma usina de oxigênio hospitalar adquirida pela prefeitura de Oriximiná. O material está previsto para chegar à cidade por volta das 22h.

“Estamos monitorando a condição do Sistema de Saúde dos municípios que estão no extremo oeste do estado, na divisa com o Amazonas, e implementando diversas estratégias, como a ampliação de leitos, oferta de cilindros de oxigênio. Disponibilizamos a estrutura do barco Papa Francisco, que já realiza atendimentos em Faro neste momento. Estamos unidos trabalhando para garantir saúde para a nossa população”, informou Helder Barbalho.

Além disso, o governo local também divulgou a ampliação de leitos clínicos e de Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) para pacientes com covid-19 nas regiões do Baixo Amazonas e Tapajós.