A Polícia Militar Ambiental alertou moradores do Tocantins para o rico de acidentes com o aparecimento de cobras nas áreas urbanas em todo o estado. Nos três primeiros meses de 2020 a corporação informou que recebeu 37 chamados do tipo em todo o estado. No período, 17 serpentes peçonhentas foram resgatadas.

De acordo com os policiais, o Tocantins atualmente tem 112 espécies de cobras identificadas. As mais comuns são falsa-coral, jiboia, cobra-capim, corre-campo, achatadeira e entre as peçonhentas o destaque vai para a jararaca.

Está em andamento um estudo para prevenir mortes por picadas deste tipo de animal, já que é comum que ele se refugie da chuva nas áreas mais secas e quentes das cidades. A PM alertou que os animais não devem ser mortos, já que o equilíbrio do ecossistema depende da existência deles. O ideia é sempre chamar as autoridades para fazer o resgate.

Os biólogos da PM Ambiental lembram ainda que através do veneno das cobras é fabricado o soro antiofídico, que serve para tratar pacientes que foram picados pelos animais.

Entre os cuidados que devem ser tomados por quem vai até áreas onde pode haver serpentes estão: Usar roupas e calçados apropriados para o campo e trilhas; não colocar a mão diretamente em locais que podem servir de tocas, e tão pouco pegar os animais na natureza.

Quem sofrer algum acidente deve manter a calma, lavar o local com água e sabão, levantar a parte do corpo afetada, tomar bastante água e ir para o atendimento especializado o mais rápido possível.

Não são recomendadas ações como perfurar o local da picada, adicionar café, açúcar ou querosene e fazer garrote/torniquete. Segundo a polícia, medidas assim são desnecessárias e podem agravar o ferimento, causando infecções e até necrose.

As informações são do  G1 Tocantins.