A Executiva Nacional do Patriota aprovou, de forma simbólica  mudanças no estatuto nacional do partido. As alterações viabilizam a filiação do presidente Jair Bolsonaro a partir de ajustes no Conselho Político Partidário.

O encontro buscou amenizar um racha que se instalou no Patriota nos últimos dias. Grupo liderado pelo 1º vice-presidente da sigla, Ovasco Roma Altimari, entrou com um requerimento no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em 31 de maio contra decisões do presidente Adilson Barroso. Roma afirmou que o presidente da sigla descumpriu a convenção do partido e impôs mudanças para abrigar Jair Bolsonaro e seus filhos na legenda.

A ala opositora, porém, não participou da reunião. Foi representada apenas por um  integrante, que não votou favoravelmente às alterações.

“O presidente [Bolsonaro] só vem [para o Patriota] se por acaso puder confiar no partido também”, disse o dirigente da sigla no início da convenção.

Sobre a as alterações no estatuto exigidas por Bolsonaro, Adilson disse estar pronto para “dividir o doce de leite em 10”.

“O presidente Bolsonaro quer, ele já manifestou intenção de vir para o Patriota, mas ele quer vir com a segurança jurídica, com a tranquilidade de que ele não vai precisar se preocupar com a questão partidária”, disse o senador.

O advogado Admar Gonzaga disse que “o desejo de uma maioria não pode ser impedido por  uma minoria que talvez tenha outros interesses que não o da maioria”. Afirmou que foi à convenção para conduzir um encontro “ordeiro dentro das normas estatutárias”.

PRTB AINDA TENTA

Com o racha no Patriota, dirigentes do PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro) voltaram a procurar o presidente Jair Bolsonaro para negociar sua possível filiação ao partido. As tratativas haviam travado em maio, depois de a presidente nacional da sigla, Aldineia Fidelix, discordar das condições estabelecidas pelo chefe do Executivo para comandar o partido.

O partido fundado por Levy Fidelix –que morreu em 22 de abril, vítima de covid–, porém, decidiu fazer uma contraproposta para atender às condições exigidas pelo presidente.

“Houve uma contraproposta do PRTB e estamos aguardando a resposta do presidente”, disse um dos principais integrantes da legenda ao Poder360. “A contraproposta atende aos interesses dele”.