Um grupo de pescadores do Iêmen encontrou a carcaça de uma baleia cachalote boiando no mar do Golfo de Adem.

Eles levaram o animal para a costa e, ao abrirem a barriga dele, encontraram âmbar-cinzento, substância pegajosa e escura produzida no intestino das cachalotes.

O insumo é usado na indústria de perfumes para preservar cheiros e é muita valioso. No passado, o âmbar-cinzento foi usado na produção de remédios, incensos e até de afrodisíacos.

A descoberta rendeu cerca de US$1,5 milhão para os pescadores, que dizem ter usado parte do dinheiro para ajudar pessoas necessitadas no Iêmen. O país do Oriente Médio sofre há anos com uma guerra civil e tem 80% da sua população considerada vulnerável à fome pela ONU.