Portugal, um dos países com maior índice de vacinação contra a Covid-19 do mundo, anunciou nesta quinta-feira (25) medidas para frear o aumento do contágio pelo coronavírus, incluindo uma semana de restrições após as festas de fim de ano.

“Estamos vivendo uma piora da situação sanitária”, declarou o primeiro-ministro António Costa, durante uma coletiva após a reunião do conselho de ministros. “É o momento adequado para adotar novas medidas, porque entramos em uma fase de risco elevado.”

A partir de 1º de dezembro, a recomendação do governo será que os trabalhadores voltem ao trabalho remoto, que a máscara seja novamente obrigatória em espaços fechados e que o passaporte sanitário seja exigido em restaurantes e hotéis.

Além disso, as pessoas terão de apresentar teste negativo de Covid-19 para assistir a eventos culturais ou esportivos, visitar casas de repouso para idosos ou entrar em bares e casas noturnas.

Quanto às viagens, será exigido um teste com resultado negativo de todos os passageiros de voos cujo destino seja Portugal.

Após as festas de fim de ano, de 2 a 9 de janeiro de 2022, o trabalho remoto será obrigatório, as férias escolares serão prolongadas e os bares e casas noturnas permanecerão fechados.

Apesar de ter cerca de 87% de toda a população completamente vacinada, Portugal está experimentando um forte aumento de infecções pela Covid-19.

Nesta quinta-feira, o país registrou 3.150 novos casos nas últimas 24 horas, de acordo com o último boletim das autoridades sanitárias. Trata-se do maior aumento diário dos últimos quatro meses.