O novo prefeito de Piraquê (TO), Silvino Oliveira de Sousa, conhecido como Neto SOS, assumiu a prefeitura do município com uma dívida superior a R$ 7,4 milhões e vários veículos sucateados.

A herança foi deixada pela gestão do ex-prefeito Eduardo Sobrinho. Conforme o relatório divulgado em audiência pública realizada na última sexta-feira (12), o município deve R$ 2.864.999,96 para a Receita Federal referente à contribuição ao INSS; R$ 2.040.068,82 para a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN); R$ 531.608,60 relacionados à folha de pagamento dos servidores e R$ 2.016.308,55 de precatórios (dívidas reconhecidas pela Justiça).

“Encontramos um município com grandes dificuldades, muitas dívidas, mas eu quero dizer à população de Piraquê que isso não vai fazer com que nós desistamos. Eu quero pedir ao povo de Piraquê que tenha paciência, compreensão, mas que pode ter certeza e confiar em Deus e nessa gestão que vamos fazer o melhor por essa cidade”, afirmou o prefeito Neto SOS durante a audiência.

Por conta da dívida com o INSS, os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) ficaram zerados nos meses de janeiro [desconto de R$ 229.349,01] e fevereiro [desconto de R$ 441.768,11].

Conforme o prefeito Neto SOS, a gestão anterior também deixou de quitar as folhas de pagamento dos meses de outubro, novembro, dezembro, 13º salário e rescisões trabalhistas de 2020, totalizando uma dívida de R$ 531.608,60.

Piraquê é um pequeno município localizado no norte do Tocantins e possui 3.033 habitantes, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para 2020.

A atual gestão produziu um relatório de 17 páginas com todos os detalhes das dívidas. Veja em: https://afnoticias.com.br/arquivos/shares/aud.pdf

Por AF Notícias