Dois caminhoneiros em passagem por Araguaína que testaram positivo para covid-19 já utilizaram o espaço de isolamento social criado pela Prefeitura. O local tem quartos equipados com camas individuais, ar-condicionado e os motoristas ainda recebem um kit de higiene pessoal e alimentação.

De acordo com o superintendente municipal da Atenção Básica, Murilo Bastos, a preocupação do Município é com a recuperação dessas pessoas em um local livre de contágio. “No momento são quatro salas para atender essas pessoas que não têm onde ficar durante o isolamento domiciliar e tratamento, essencial para que não haja contágio da doença”.

Os caminhoneiros atendidos ainda recebem alimentação completa, com café da manhã, almoço, lanche e jantar. “No local tem banheiro, geladeira, tudo que é necessário para a estadia dessas pessoas”, citou Bastos, informando ainda que o espaço recebe higienização diária pelas equipes do Município.

Mais ações

Desde o mês passado, a Prefeitura realiza ações de atenção à saúde dos caminhoneiros em passagem por Araguaína. De acordo com os dados da Secretaria da Saúde, na primeira ação, em parceria com Polícia Rodoviária Federal, foram vacinados uma média de 400 caminhoneiros, 100 passaram por atendimento médico e dois homens sintomáticos realizaram o teste rápido com resultados negativos para covid-19.

Em outro trabalho realizado em dois postos de combustível nas entradas norte e sul da cidade, encerrada na segunda-feira, 4, os profissionais atenderam 656 motoristas no total, 8 testes rápidos foram realizados com resultado negativo para a doença.

Perfil dos casos

A Prefeitura ainda está auxiliando a Secretaria Estadual de Saúde em um trabalho de avaliação do perfil epidemiológico da covid-19 em caminhoneiros que passam pelo Tocantins. Os motoristas são parados no posto da PRF e são submetidos a testagem rápida para covid-19 e ainda recebem a vacina contra a influenza e passam pela triagem pelas equipes da Saúde municipal.

O atendimento continua na segunda-feira, 11, a partir das 8 horas. Por dia, são realizados 40 testes em caminhoneiros sintomáticos e assintomáticos. Dois desses motoristas já testaram positivo para a doença durante a ação.