O presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto, voltou a dizer que está otimista com a reação da economia brasileira em 2021, principalmente a partir do 2º semestre. Segundo ele, o processo de vacinação contra a covid-19 deve acelerar o que permitiria a normalização da economia.

Segundo ele, a projeção de crescimento do PIB, estimada em 3,6% pelo Banco Central, caminha em direção a 4% e disse que há casas de operadores de mercado com estimativas maiores, como de 5%.

Ele falou sobre o tema em 2  no Fórum de Investimentos Brasil 2021, organizada pela Apex-Brasil, e no webinar “Economia Verde”, da Frente Parlamentar da Economia Verde.

Campos Neto afirmou que o 1º trimestre surpreendeu positivamente na economia e que há expectativa de um 2º trimestre positivo. Comentou dados da arrecadação federal, que tem sido recorde nos últimos meses.

“Olhando o tema da vacinação, vai nos proporcionar uma abertura, uma possibilidade de abertura maior no 2º semestre”, disse. Ele repetiu que o setor econômico conseguiu se adaptar às medidas de isolamento social.

Sobre inflação, afirmou que há uma pressão internacional dos preços das commodities e que o BC está “vigilante” com a disseminação da alta dos valores. Para controlar o índice de preços, o Copom (Comitê de Política Monetária) sinalizou alta da taxa básica, a Selic, para 4,25% ao ano na próxima reunião, em junho. Atualmente, está em 3,5% ao ano.

Campos Neto citou que o Banco Central tem implementado uma agenda de sustentabilidade no setor financeiro que dê resultados na prática para a melhora do meio ambiente. Comemorou que a autoridade monetária brasileira foi considerada a 2ª “mais verde” do G20. Leia aqui uma das medidas para melhorar a sustentabilidade para reduzir os riscos ambientais.