A fim de garantir que o consumidor tenha acesso a preços mais justos na hora das compras, o Procon Tocantins divulgou nesta segunda-feira, 18, pesquisa de preços de materiais escolares realizada nas cidades de Araguaína e Gurupi. Os itens que atingiram maior variação nos referidos municípios foram o apontador de lápis retangular simples da marca BRW, com 233,33% e a régua plástica cristal, 30 centímetros, da marca Waleu, atingindo variação de 157,14%, respectivamente.

Em Araguaína, o apontador lápis está sendo comercializado entre R$ 0,60, e R$ 2,00 e em Gurupi a régua tem preço variado entre R$ 0,70 e R$ 1,80.

As pesquisas realizadas no mesmo período, 14 e 15 de janeiro de 2021, consideraram 87 itens em cinco estabelecimentos de Araguaína e 79 artigos em cinco fornecedores de Gurupi.

Mais números

Dando sequência ao levantamento, em Araguaína, o apontador de lápis de um furo com depósito, da marca Tilibra, ocupou a segunda maior variação, sendo 166%, e preços variando entre R$ 1,50 e R$ 3,99. Já o terceiro lugar foi ocupado pela régua plástica cristal, 30 centímetros, da marca Waleu, com variação de 122,22%, sendo comercializada entre R$ 0,90 e R$ 2,00.

Em Gurupi, em segundo lugar, ficou o lápis preto nº 02 ecolapis com borracha max sextavado, da marca Faber Castel, com variação de 133,33%, sendo comercializado entre R$ 0,60 e R$ 1,40. Em terceiro lugar, vem o giz de cera, estojo com 12 cores da marca Acrilex, com variação de 132,35%, comercializado entre R$ 1,70 e R$ 3,95.

Demanda

Uma observação da gerência de Fiscalização do Procon Tocantins, durante a pesquisa, é que mesmo com a pandemia do Coronavírus, os estabelecimentos estão bastante movimentados.

O superintendente do Procon Tocantins, Walter Viana, pede cautela e reforça a orientação para que pais ou responsáveis verifiquem com a escola a lista de material do ano passado, vejam o que não foi utilizado e o que pode ser aproveitado este ano, como forma de economia. “Este é o momento em que o consumidor deve ficar bastante atento com relação aos preços, considerando todas as demandas que chegam no início do ano”, alertou.

Em caso de irregularidade, o órgão orienta formalizar reclamação pelo site, pelo disque denúncia 151 ou, ainda, por meio do WhatsApp (63) 99216-6840.