O Setor de Inteligência da 53ª DP (Mesquita) recebeu denúncias sobre o funcionamento de fábrica clandestina em um galpão no centro do município, na Baixada Fluminense, que foi interditado após realização de perícia da Políca Civil.

Segundo a corporação, uma investigação foi aberta para identificar os responsáveis pelo crime contra a saúde pública. A pena prevista de reclusão é de 10 a 15 anos.

O ambiente estava em condições evidentes de falta de higiene e condições recomendadas para a produção de tal item, cuja demanda aumentou devido à propagação do novo coronavírus.

No local, era feito álcool gel falsificado sem qualquer licença da Vigilância Sanitária para produção, armazenagem e venda. Agentes apreenderam farta quantidade de matéria-prima, além de frascos e rótulos. O comércio ilegal seria realizado em Mesquita e outras cidades da Baixada.

Frascos de álcool gel recomendados ao uso devem conter informações mínimas do fabricante sobre o produto e o selo do Inmetro. O uso do produto é recomendado pelas autoridades de saúde para ajudar na prevenção da Covid-19, que já matou 20 mil pessoas no mundo.