O Estado do Tocantins deverá registrar, num período de dez anos, crescimento de 27,7% da produção de grãos, com aumento de 33,5% na área plantada, apontam dados de estudo divulgado nesta sexta-feira pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Embrapa.

Conforme análise feita pelo Norte Agropecuário sobre o levantamento, a produção de grãos passará de 4.413 milhões de toneladas (previsão desta safra 2016/2017) para 5.634 milhões de toneladas em 2026. Já a área plantada passará de 1.330 de hectares (previsão para esta safra 2016/2017) para 1.775 de hectares.

Outra informação relevante da projeção é que Tocantins e Bahia devem liderar o crescimento da produção de milho nos próximos anos. A produção que nesta safra deverá ficar em 881 mil toneladas chegará, em dez anos, a 1.179 milhão de toneladas, aumento de 33,8%, aponta o estudo do Mapa e da Embrapa. A área plantada, que nesta safra tem previsão de 194 mil hectares, chegará a 259 mil hectares, acréscimo de 33,6%.

Já a produção de soja terá redução de 4,2% em dez anos. Nesta safra a produção deve girar em torno de 2.786 milhões de toneladas. Em um período de dez anos, a estimativa é de 2.668 milhões de toneladas. Em termos de área plantada, passará de 956 mil ha para 1.391 ha (45,5% maior).

O município de Campos Lindos (569 km de Palmas) é destaque do Tocantins entre os municípios do Matopiba. A expectativa é que a produção de grãos passe de 242 mil toneladas para 353 mil toneladas (45,8% maior). Já a área plantada crescerá de 80 mil hectares para 115 mil hectares (aumento de 44,3%).

O Matopiba, aliás, deve apresentar aumento elevado da produção de grãos assim como sua área deve apresentar também aumento expressivo, apontam os pesquisadores. As projeções indicam que essa região deverá produzir cerca de 26,5 milhões de toneladas de grãos em 2026/27 (aumento de 29,3% em relação a 2016/17) e uma área plantada de grãos entre 8,4 milhões e 11,0 milhões de hectares ao final do período das projeções.

A região apresenta “acentuado potencial de produção de grãos”. “Apesar de suas deficiências de infra-estrutura, os preços de terras são atrativos, o clima corresponde ao do Cerrado e o relevo é favorável”, analisam os responsáveis pelo estudo.

PRODUÇÃO DE ARROZ

Cultura comum em quase todo o país, a maior parte da produção de arroz ocorre em cinco estados: Rio Grande do Sul, onde predomina o arroz irrigado, concentra 71,1% da produção nacional de 2016/17; Santa Catarina, 9,2% da produção; Mato Grosso, 3,9%; Maranhão, 1,8%; e Tocantins com 5,6% da produção nacional.

CULTIVO DE SOJA

A produção de soja no país para 2016/17 está estimada em 113,0 milhões de toneladas. Conforme o levantamento, a produção é liderada pelos estados de Mato Grosso, com 27,0% da produção nacional; Paraná com, 17,3%; Rio Grande do Sul com 16,1%; Goiás, 9,6%; Mato Grosso do Sul, 7,6%, Minas Gerais, 4,4% e Bahia, 4,3%. Mas, a produção de soja está migrando também para novas áreas no Maranhão, Tocantins, Pará, Rondônia, Piauí e Bahia, que em 2016/17 respondem por 13,2% da produção brasileira, que corresponde a uma produção de 15,0 milhões de toneladas de soja.

“Vários indicadores analisados durante a preparação deste material como expansão de produção, rebanho bovino, abates de animais, preços de terras, mostram nítida tendência do crescimento da agricultura para o Norte, principalmente em direção a estados como Rondônia, Pará e Tocantins. Essa expansão não é recente, entretanto projeções direcionadas a estas áreas mostram claramente o crescimento em direção ao Norte”, apontam os pesquisadores.