O Governo do Estado, por meio da Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec), alerta os produtores rurais, proprietários de bezerras bovinas e bubalinas, entre 3 e 8 meses de idade, que ainda não vacinaram estes animais contra a brucelose, para ficarem atentos ao fim do prazo da segunda etapa de vacinação que encerra na próxima terça-feira, 31. O produtor que deixar de vacinar pagará multa no valor de R$ 5,32 por animal não vacinado, R$ 127,69 pela não declaração e a ficha de movimentação do rebanho ficará bloqueada para a emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA) até a regularização.

Segundo a responsável técnica pelo Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PECEBT), Carolina Silveira Ozorio, após a vacinação das bovídeas, o produtor deve se dirigir ao escritório da Adapec onde realiza a movimentação do rebanho e declarar a vacinação, mediante apresentação da nota fiscal do produto e atestado de vacinação. O prazo para declaração é até o dia 10 de janeiro de 2020.

O presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, reforçou a importância da vacinação contra a brucelose para a erradicação da doença no Estado. “O Tocantins vem mantendo o controle da brucelose, isso, graças ao esforço do Governo do Estado, por meio da Adapec, e da contribuição dos produtores rurais na vacinação contra esta zoonose nas bezerras de 3 a 8 meses, por isso, precisamos manter os bons índices de cobertura vacinal para erradicarmos a doença em nosso Estado,” disse o presidente, acrescentando que a vacinação contra brucelose é obrigatória.

Vale ressaltar que a vacinação contra a brucelose só deve ser feita por médico veterinário ou auxiliar de vacinador devidamente cadastrado na Agência.

Dados

No primeiro semestre deste ano, foram vacinadas 440.815 bezerras entre 3 e 8 meses de idade, atingindo 95,97% das bovídeas em idade vacinal.