Após o incêndio que atingiu uma distribuidora de peças para maquinários agrícolas em Araguaína, nessa segunda-feira (18), as equipes da Defesa Civil e da fiscalização da Secretaria do Meio Ambiente iniciaram um trabalho de limpeza no Córrego Santo Antônio, também conhecido como Água Fria, que corta a cidade.

Com o acidente, produtos químicos e uma grande quantidade de óleo acabaram atingindo o curso d’água e o material teve que ser contido.

Após o controle do material que estava sendo despejado no córrego, a equipe de fiscalização do Meio Ambiente acionou o responsável pela distribuidora, que já iniciou o trabalho de retirada do material contaminado por meio de uma empresa terceirizada.

Preservação

“O trabalho de contenção iniciou de forma rápida, para evitar que o óleo se espalhasse para uma área maior, equipes da Defesa Civil, do Meio Ambiente e da Secretaria da Infraestrutura trabalharam durante todo o dia também com o auxílio do Corpo de Bombeiros e a utilização de uma espuma especial para esse tipo de acidente. A empresa responsável já foi acionada e será responsabilizada pelos danos ambientais causados”, explicou o diretor municipal de Fiscalização Ambiental, Orialle Barbosa.

De acordo com a Lei Federal de Crimes Ambientais nº 9.605/98 e o Decreto nº 6514/2008, o prejuízo à natureza deve ser restaurado. Esse tipo de poluição, caso o material não seja retirado do córrego, pode resultar em punição do responsável e multa que varia de R$ 5 mil a R$ 50 milhões, de acordo com o tipo de crime ambiental.

ENTENDA

Um incêndio de grandes proporções destruiu completamente uma grande distribuidora de peças para tratores e implementos, em Araguaína. O fogo começou na noite desta segunda-feira (18), por volta das 23h, no interior da loja, e deixou um prejuízo milionário.

A distribuidora Trator Solo fica localizada na Avenida Bernardo Sayão, às margens da BR-153, na Vila Cearense.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o incêndio se alastrou rapidamente e consumiu o telhado, fachada, móveis, peças, documentos e muitos outros materiais de fácil combustão. A suspeita é que o fogo tenha começado nos fundos da loja.

Também havia uma grande quantidade de óleo armazenada no local, líquido inflamável que pode ter aumentado o tamanho da destruição.