O projeto de Reciclagem de Óleo Residual da Prefeitura de Palmas, já recebeu em seu primeiro mês cerca de 400 litros deste tipo e resíduo, todos entregues no Ecoponto da Feira da 304 Sul, que foi inaugurado no dia 04 de dezembro de 2020. Este foi o primeiro Ecoponto instalado, de um total de cinco que estão previstos para funcionar nas feiras da Capital e no viveiro de mudas do Horto Florestal.

A Reciclagem de Óleo Residual faz parte do Programa Renova Palmas, gerido pela Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA) e que norteia a política de gestão de resíduos de Palmas e inclui quatro projetos, que estão em fase de desenvolvimento: Reciclagem de Óleo Residual, Coleta Seletiva de Recicláveis, Compostagem da Fração Orgânica e Implementação da Cadeia de Logística Reversa.

No caso do óleo residual, o projeto é desenvolvido em parceria com a empresa Granol, que disponibilizou os contêineres e é a destinatária final do produto coletado. Após essa coleta, o óleo residual é transformado em biodiesel, evitando que seja descartado indevidamente, poluindo o meio ambiente.

Além de reaproveitar o resíduo, a Granol também passou a ser apoiadora dos programas ambientais do Município, contribuindo para o fortalecimento da política de resíduos sólidos em Palmas.

O Projeto

O projeto de Reciclagem de Óleo Residual é uma iniciativa da FMA, em parceria com a empresa Granol e está estruturado por contêineres para recebimento exclusivo do óleo usado, que deve ser encaminhado para transformação em biodiesel.

Sempre que os contêineres estiverem cheios, o material será levado ao ecoponto central, que será instalado no Horto Florestal (Viveiro Municipal), e de lá o material será recolhido pela Granol para transformação em biodiesel. A contrapartida da empresa será o apoio aos projetos de preservação ambiental da FMA.

Óleo residual

Os ecopontos de coleta do óleo residual são alternativas fundamentais para a gestão de resíduos, principalmente no meio urbano, uma vez que basta um litro de óleo descartado de forma incorreta – em pias, ralos e similares, para contaminar até 25 mil litros de água, segundo apontam estudos da área.

Entre as principais consequências estão do solo e água e morte de peixes. Este resíduo também pode acumular-se nas paredes dos canos e reter outros materiais que passam pelo local. Além de entupimentos, haverá infarto do sistema de esgoto com sérios problemas para manutenção das redes e custos mais altos para fazer consertos e reparos.

Parcerias

Além da parceria com a Granol, a Fundação de Meio Ambiente espera também que a comunidade de Palmas se envolva neste projeto e assim contribua para o município conseguir implementar de forma mais eficiente suas políticas públicas de gestão de resíduos.